Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

 

Por mais que doa, largar ainda nos dói mais!

 

 

publicado por EA às 23:25

Sábado, 01 de Novembro de 2008

Cai no chão, magoei mais do que o corpo mais que o espírito, magoei o ser que sou. Destrui-me..

Estava num buraco profundo cheio de terra negra e húmida, nitidamente num primeiro olhar pensei que estava num túnel, numa passagem qualquer que iria dar a um lugar diferente, a um sitio que até poderia ser melhor do que este onde estou mas, enganei-me.

Tentei trepar pelo buraco a cima, coloquei uma mão seguida de um pé, pensei que estava a ser capaz mas não, cai no chão e levei com vestígios dessa mesma terra na cara, no corpo no interior de mim...

Feri as mãos de tanto tentar subir, de nunca ceder quando pensei que esta certo, que a solução era naquele sentido. Tentei, tentei e voltei a tentar quando a razão falava mais alto. Quando consegui chegar ao solo deixei de lado a aparência com que iria surgir mesmo sabendo que estava roto, com um ar desmazelado e moribundo. Senti os olhares, sentimentos de repulso e nojo, mas mesmo assim sentia-me bem, no final de contas tinha conseguido.

Não me recordava de quanto tempo tinha lá estado, de quantas vezes tentei subir e cai no chão quantas vezes chorei.. Estava feliz comigo mesmo, tinha conseguido voltar a ver o sol, a sentir a brisa do ar fresco a percorrer a face o corpo exausto. Tinha conseguido sozinho, com as mãos que insistentemente olhava e via nelas as feridas que tinham surgido ao longo do trilho percorrido e que tanto orgulho nelas hoje tenho. Mais uma vez sozinho sem que ninguém estendesse a mão no momento em que até o mais frágil braço poderia resultar em salvação. A pena destas pessoas que agora me olham apenas fazem-me sentir ódio, pois não é com essa pena que consegui sobreviver, sorrir e até mesmo sonhar, foi a força de vontade de um dia ser capaz de olhar para as vossas caras e dizer: - Aqui estou, sou a prova viva que mesmo sem vocês e com dificuldades aqui estou!

Ontem fiz parte do passado, hoje faço parte do presente, amanhã é mais um enigma e uma batalha para vencer...

sinto-me:
música: Natasha Bedingfield - Wild Horses
publicado por EA às 21:07

Sexta-feira, 02 de Novembro de 2007

Arquitecto nos meus sonhos o nosso encontro, aspectos que eu gostaria que estivessem lá no momento certo, na altura certa….

Gostava de ter coragem de ir ter contigo, abandonar tudo e todos, entregar-me por completo… Acho que é nessas mesmas alturas que vejo a minha falta de entrega para contigo, não sou capaz de partir em busca de ti, de deixar para trás o meu mundo e partir em busca do teu… Gostava de ser corajoso, nem que fosse uma única vez, não para mostrar ou fazer-te ver que era capaz, era mesmo para fazer ver-me a mim…

Sabes, por incrível que pareça, tenho estado constantemente a imaginar o nosso encontro.. Quando fecho por breves minutos os olhos, vejo-me num carro, caminhando por uma longa e larga estrada de terra batida.. Passados instantes, encontro-me num daqueles autocarro antigos, onde o seu interior tem aquele cheiro a pó entranhado nos bancos, que já foram mais que usados pelos seus utentes… Encontro-me junto a uma janela, vejo amigos e familiares dizendo-me adeus com sorrisos e cabeças cabisbaixas... Penso se estarei a fazer o correcto, mas não desisto… O autocarro parte e fica no ar aquela característica nuvem de fumo espesso que não deixa ver nada nem ninguém.

No banco, anseio pela chegada, mas ao mesmo tempo, o receio de receber uma má recepção assombra o pensamento.. Será que devia estar aqui??? Será que gostas mesmo de mim??? Questões que sobrepõem-se umas as outras… Passo por cidades e aldeias que nunca em tempo algum imaginaria passar, afirmando mesmo nunca ter ouvido tais nomes. Começo a  ver a estrada como as estradas que existem no deserto, onde apenas focalizamos ou tentamos focalizar o final da estrada, deixando todo o resto para um plano secundário…

O autocarro pára. Acho que cheguei ao destino.. Saio lentamente, com medo da tua reacção.. Vejo muitas famílias e pessoas à espera de alguém, imagino se estarás a fazer o mesmo, ou assim gostaria que fosse… Todas as pessoas que estavam comigo foram embora, vejo-me sentado num banco esperando que viesses ter comigo… Ouço ao longe passos, levanto-me repentinamente e coloco-me a estreita para ver se és tu… O escuro atrapalha a visão.. Começo a correr ao teu encontro, mas começo a deixar de ouvir os passos, começo a sentir o gélido frio a subir-me espinha a cima… Começo a notar que estou só, que quando devia ter tido coragem para dizer todo o que sentia foi cobarde, não foi capaz de admitir que te amava e que queria partilhar o meu mundo com o teu… Caio de joelhos no chão… O escuro tomou conta da minha imagem…

Acordo repentinamente e vejo que isto todo não passou de um sonho… Será isto um aviso para ir em frente ou para abandonar todo….

Sinto-me tão só nesta cama tão imensa…   

 

sinto-me:
música: Katie Melua - Blue Shoes
publicado por EA às 20:43

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

Sinto-me culpado por nunca te ter dado um beijo com amor…

Sinto-me culpado por nunca te ter feito feliz, como tu me fazias sentir…

Sinto-me culpado por um dia te ter dito que estava todo bem…

 

Após o nosso afastamento a vida para mim deu uma volta de 360 graus… Já não sei a quantas ando, não sei que tipo de rumo deva dar.. Só sei que existe uma enorme falha no meu peito, falha essa que foi causada pelas nossas enormes discussões, pela falta de compreensão mútua, da falta de diálogo……
Queria que tudo fosse diferente, queria voltar a tentar… queria voltar a sentir… Queria voltar a ter-te e a meu lado… Sentir a tua respiração, o teu folgo o teu cheiro… Ai, como sinto saudades…
Será que ainda tas ai???? Será que não deixas-te de acreditar em nós e foste em busca de algo que te completasse???
Não te posso censurar, nunca fiz nada para merecer o teu verdadeiro AMOR. Apenas ia e vinha e sabia que estavas sempre lá, ou assim pensava…
 Mais uma vez a vida encarregou-se de me mostrar que anda ai e não deixa passar nada em branco…
sinto-me:
música: Counting Crows - Colorblind
publicado por EA às 09:31

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro