Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Sábado, 22 de Novembro de 2008

"Diz Cícero que filosofar não é outra coisa senão preparar-se para a morte. Isso porque de certa forma o estudo e a contemplação retiram a nossa alma para fora de nós e ocupam-na longe do corpo, o que é um certo aprendizado e representação da morte; ou então porque toda a sabedoria e discernimento do mundo se resolvem por fim no ponto de nos ensinarem a não termos medo de morrer. Na verdade, ou a razão se abstém ou ela deve visar apenas o nosso contentamento, e todo o seu trabalho deve ter como objectivo, em suma, fazer-nos viver bem e ao nosso gosto, como dizem as Santas Escrituras. Todas as opiniões do mundo coincidem em que o prazer é a nossa meta, embora adoptem meios diferentes para isso; de outra forma as rejeitaríamos logo de início, pois quem escutaria alguém que estabelecesse como fim o nosso penar e descontentamento?"

Michel de Montaigne, in 'Ensaios'

 

Retirado do site: http://www.citador.pt/pensar.php?op=10&refid=200603311900

tags:
publicado por EA às 19:11

Sábado, 08 de Novembro de 2008

Faz silêncio.. Não digas nada, olha para mim! Vê no fundo do meu olhar as palavras que guardei para ti, a parte especial que apenas para ti mostrei, recordações...

Não chores, não temas, já passou... Demorei muito tempo para te encontrar para poder contigo partilhar este  olhar, este sentimento de grandiosidade e resplendor mas, tudo isto valeu a pena...

Não fujas, não estejas com medo, não largues de maneira nenhuma a minha mão.. Senta-te a meu lado, encosta a cabeça ao meu ombro e fecha os olhos. Diz-me o que vês, o que sentes, o que apenas te faz ficar. Conta-me o segredo.

Surgiste assim na minha vida, de uma maneira banal e tímida, da maneira mais simples de aparecer mas, aqui estás, presente e alegre por estares comigo, por ser teu confidente e fiel ouvinte, aqui estas!

Não te quero deixar fugir mesmo quando a fuga esta eminente, não te quero prender pois a força nunca abonou a nosso favor mas, não queria perder o que durante tantos meses demorou a construir, a pessoa a quem dei e recebi alma e corpo, a conquista da confiança e carinho. Não quero deixar escapar isso..

A marca de presença para sempre irá ficar marcada no olhar desta pessoa que um dia sentiu...

música: Blog
publicado por EA às 21:36

Sexta-feira, 07 de Novembro de 2008

 

We need you to get your happy ending...

música: Yann Tiersen - Pale White
publicado por EA às 21:55

Sábado, 01 de Novembro de 2008

Cai no chão, magoei mais do que o corpo mais que o espírito, magoei o ser que sou. Destrui-me..

Estava num buraco profundo cheio de terra negra e húmida, nitidamente num primeiro olhar pensei que estava num túnel, numa passagem qualquer que iria dar a um lugar diferente, a um sitio que até poderia ser melhor do que este onde estou mas, enganei-me.

Tentei trepar pelo buraco a cima, coloquei uma mão seguida de um pé, pensei que estava a ser capaz mas não, cai no chão e levei com vestígios dessa mesma terra na cara, no corpo no interior de mim...

Feri as mãos de tanto tentar subir, de nunca ceder quando pensei que esta certo, que a solução era naquele sentido. Tentei, tentei e voltei a tentar quando a razão falava mais alto. Quando consegui chegar ao solo deixei de lado a aparência com que iria surgir mesmo sabendo que estava roto, com um ar desmazelado e moribundo. Senti os olhares, sentimentos de repulso e nojo, mas mesmo assim sentia-me bem, no final de contas tinha conseguido.

Não me recordava de quanto tempo tinha lá estado, de quantas vezes tentei subir e cai no chão quantas vezes chorei.. Estava feliz comigo mesmo, tinha conseguido voltar a ver o sol, a sentir a brisa do ar fresco a percorrer a face o corpo exausto. Tinha conseguido sozinho, com as mãos que insistentemente olhava e via nelas as feridas que tinham surgido ao longo do trilho percorrido e que tanto orgulho nelas hoje tenho. Mais uma vez sozinho sem que ninguém estendesse a mão no momento em que até o mais frágil braço poderia resultar em salvação. A pena destas pessoas que agora me olham apenas fazem-me sentir ódio, pois não é com essa pena que consegui sobreviver, sorrir e até mesmo sonhar, foi a força de vontade de um dia ser capaz de olhar para as vossas caras e dizer: - Aqui estou, sou a prova viva que mesmo sem vocês e com dificuldades aqui estou!

Ontem fiz parte do passado, hoje faço parte do presente, amanhã é mais um enigma e uma batalha para vencer...

sinto-me:
música: Natasha Bedingfield - Wild Horses
publicado por EA às 21:07

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28
29

30


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro