Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Sábado, 26 de Janeiro de 2008

Senti os nervos a flor da pele… Senti a vontade de querer sair a correr e nunca mais voltar a entrar… Senti que por momentos o meu coração deixará de bater…

Mas, no final de contas ainda antes de saber, senti umas leves e suaves batidas. Senti que ainda funcionavas e deixavas-me viver por mais algum tempo, deste-me o prazer de saborear uma vitória no meio de tantas e inúmeras derrotas consecutivas…

Libertei o meu vasto sorriso e com ele um suspiro de alivio.. Saber que afinal de contas, ainda olhas por mim e todos vocês querem o meu bem foi a sensação mais glória que poderia sentir agora, nesta fase, neste momento..

Agora olho para mim com olhos de miúdo traquinas, que apenas quer viver os momentos que até hoje são lhe roubados das mãos, deixar o amanha para mais tarde e preocupar-me em viver o hoje…

Enfim, apenas quero o que sempre quis, ser apenas feliz…

sinto-me: extremamente
música: Donna Maria - Canto no meu Canto
tags:
publicado por EA às 17:06

Domingo, 20 de Janeiro de 2008

Pedis-te um dia para escrever algo sobre ti…

Sabes que para mim não é fácil falar sobre ti. É como estar a falar de algo que conheço tão bem, mas que ao mesmo tempo esta sempre a surpreender e a deixar-me sem palavras...

Tenho pena de já não estarmos sempre em permanente contacto, dos nossos bons dias animados, das gargalhadas matinais e até dos olhares que tanto diziam… Como tenho saudades…

Mas o tempo muda as coisas. Mas o mais engraçado é que eu mudei, não sei se para melhor, ou como dizes apenas estou numa fase em que a vida não me sorri e eu dificilmente tento sorrir para ela.

Sei que contigo posso abrir, dizer o que me apetecer, dizer o que sinto, mostrar a pessoa que realmente sou e que gosto de guarda-la apenas para quem gosto e acho merecedor de a conhecer. Criticas-me e censuras-me, dizes que se assim não fosse eu estaria bem, que a minha vida estava a andar para a frente muito mais facilmente. Mas que te posso dizer, sou eu, mesmo que tenha feito planos de mudança acho que nunca deixarei de ser este rapaz que conheces que apenas gosta de ser feliz e de principalmente, ver quem gosta bem na vida.

Adoro quando te conto o que se passa comigo e não me censuras pelas acções que faço, adoro o teu sentido de humor e como gostas de brincar com os meus problemas, acho que lhes consegues dar a devida importância. Importância essa que eu ainda não aprendi a dar. Mas acho que és boa nisso é por causa da tua idade mais nada, não seja convencida, velhota :P

Sabes que para mim estes últimos meses, a minha vida parece uma roda vida, quanto mais tento melhorá-la pior fica… Gostei do que fizeste por mim, o nosso passeio e principalmente da brisa de ar que libertas-te de ti para mim.

Sabes que para além do dinheiro e do status que ostentas nesta sociedade gosto de ti por seres quem és, sincera, honesta e nunca deixares ninguém para trás e principalmente gosto do teu ombro, onde posso dizer que tenho o prazer de muitas vezes ir lá desabafar. Ahhhh, não nos esqueçamos desse corpo, hummm que perdição. Lol

Espero que nunca faça nada que te afaste de mim, como até hoje tem vindo a acontecer com as outras pessoas que vivem em meu redor. Desejo que a nossa amizade seja daquelas que duram a vida toda. Pronto toda também é muito tempo para nós, mas pelo menos mais 100 anos, deve chegar.

Só quero é que não te preocupes tanto comigo, sabes que isto com o tempo vai ao sitio, esta fase de depressão irá um dia ter fim e acho que com o teu apoio e daqueles que me querem bem vais ver que não tarda muito irei voltar ao normal, se é que em mim existe esse estado…

Espero em breve poder dar-te boas noticias….

Beijos minha rata velha, és uma parte bastante significativa da minha vida, espero que nunca essa parte desapareça.

sinto-me:
música: Anna Nalick - Breathe
tags:
publicado por EA às 20:44

Sábado, 19 de Janeiro de 2008

Estou sem sono, olho para o lado e vejo teu corpo…

Liberto um sorriso só por te ter a meu lado. Saber que entre nós tudo esta bem é um alívio... Começo a mexer-te nos cabelos e a beijar-te o pescoço, murmuras ruídos baixos e abanas o corpo como quem quer dizer: “Deixa-me dormir”, dá-me vontade de rir…

Nunca senti-me tão bem por poder estar contigo, estar do teu lado despreocupado e apenas vivendo o momento. Já nem sei a quanto tempo isto não acontecia..

Volto-me de barriga para o ar e penso em tudo pelo qual passamos, as nossas peripécias, as nossas desavenças, os beijos que roubei-te e que me foram roubados.. Aiii momentos destes, não são fáceis de se esquecer…

Sei que agora estou completo, tudo o que passamos foi apenas provas para nos testar, para termos a certeza do que queríamos.

Abraço-te com jeito para que não acordes, e quero assim partilhar contigo o sonho que ambos estamos a viver…  

sinto-me:
música: Bird York - In the deep
publicado por EA às 12:57

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

Julgas que me conheces e magoas os meus sentimentos com os teus actos vis…

Julgas que a minha vida é como um uma folha de papel, que a qualquer momento pode ser apagada e reescrita, mas lamento informar-te, que infelizmente tenho sentimentos. Sou um ser humano. O pedaço de pedra que julgas que tenho no lugar de coração foi esculpido, tornou-se agora uma pedra preciosa, merecedora de respeito e confiança…

Quero que quando olhes para mim deixes de lado desconfianças e medos, quero que sejas real, não finjas nem me tentes iludir, acho que não mereço isso…

Quero ser feliz e alcançar a felicidade.. Estou disposto a sofrer como até hoje sempre estive, mas tenta pelo menos merecer os meus sacrifícios…

Afinal, solidão sempre tiveste razão. Mais vale sofrer por não ter ninguém do que estar a sofrer por não ter ninguém que me mereça…

sinto-me:
música: K`s Choice - Only Dreaming
tags:
publicado por EA às 15:22

Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

Ensinas-te a ser mais forte, a tentar aprender a gostar de mim por aquilo que sou e não pelo que gostaria de ser. A aceitar os meus defeitos e principalmente a valorizar as minhas qualidades…

De vez em quando, fazes-me sentir mal.. Obrigas-me a olhar para os outros e a ver a alegria da partilha… E eu ali, só e inerto, com um olhar fixo e permanente, capaz de até às vezes deixar surgir aquela pequenina lágrima no olho.

Nestes últimos dias, tens-me feito pensar e observar que tu, solidão, não és um dado adquirido, és apenas uma fase, que as pessoas atravessam, fazes com que nós apreendamos a ver o mundo como ele próprio é, com todas as suas alegrias e tristezas, com todo o seu esplendor e ao mesmo tempo, com toda a sua podridão.

Sinto que agora, estas a fazer-me crescer demasiado depressa, não sei se irei ser capaz de lidar contigo. Sei que estou a ser injusto, vistos teres sido a minha companhia quase diária mas, dentro de mim existe aquela necessidade de calor humano de abrir e dividir-me com alguém, de deixar-te por breves horas e dar-me ao mundo, mundo este, que tu própria tentas retirar..

 

A solidão faz com que consigamos dar valor a quem amamos e não damos valor… Faz com que a própria pessoa sinta a necessidade de criar o seu espaço dentro da sua comunidade… Faz com que a pessoa aprenda a chorar e a libertar emoções que muitas vezes ficam retidas e fazem de nós pessoas fúteis e vulgares. Posso dizer que, a solidão é como uma escola, onde apenas os melhores conseguem viver, conviver e libertar-se dela.

 Apoderas-te de nós e fazes de nós teus objectos de brincadeira, não nos libertas… Queres para além dos nossos sentimentos as nossas próprias almas…

sinto-me:
música: Rodrigo leão - Sossego
tags:
publicado por EA às 20:16

Sábado, 12 de Janeiro de 2008

Da triste escrita que a pouco e pouco é libertada por estas antigas e enrugadas mãos, que da vida tanto sentiram e tão pouco viveram…

 São agora essas mesmas que tentam mudar o rumo desta triste e enfadonha vida. Tentando mudar a maneira de ver e de querer as coisas…

Que tentam fazer de mim o que não sou e que em tempos desejei ser…

Para elas, sou apenas mais um antigo novo ser, que aprende e apreende o mundo… Conhecedor experiente de sentimentos tristes e apologista do sorriso no canto dos lábios…

Gostava de um dia poder partilhar o meu fardo de tristeza com alguém, sentir que não sou como o ATLAS, (personagem da mitologia grega) que suporta o mundo com os ombros.

Queria conseguir ser capaz de seguir a astrologia, este mês dizia: “segure as rédeas da sua vida e procure novos caminhos, irá sofrer, mas o prazer que o sucederá será a sua recompensa”… Penso: - Será que ainda tem que ser mais??? Já não chega…    

sinto-me:
música: dEUS- Nothing really ends
publicado por EA às 21:27

Segunda-feira, 07 de Janeiro de 2008

Sou estranho na minha forma de estranhar…

Sou estranho por nada ou por tudo que faça... Sou um Ser diferente, distinto, único e até mesmo, como gosto de titular complicado.

 

Posso dizer que a minha vida nestes dias encontra-se numa fase de encaixes, como num puzzle, onde incansavelmente coloco e recoloco peças para complementar um ciclo… Não esta fácil, na sua maioria, a carga que vem subjacente à peça é superior, o que me leva a ir a baixo e a pensar se será que estou a caminhar no caminho certo.

No caso das peças mais pequenas, são aquelas que muitas vezes atribuo menor valor, devido à sua abundância. Mas hoje, fui mais uma vez surpreendido.

Fazendo uma retrospectiva, a minha vida encontra-se longe do mar de rosas. Todo correr mal, todo o que pode desabar, desaba.

Mas hoje, um dia que parecia ser igual a tantos outros, em que o estado de espírito era mais negro que o próprio do carvão, fui surpreso.

Estava no autocarro, rumo a casa, depois de reflectir no considerável aumento de preço do bilhete e olhei para a janela... Lá via-se centenas de crianças a rir e a brincar, ignorando elas o futuro e vivendo assim o presente com satisfação, como normal. Mas tal surpresa a minha quando, uma menininha pequenina, não deveria ter mais de 4anos fixou o olhar nos meus olhos e ali ficou. Achei sinceramente graça, devido aos óculos e aos caracóis que esvoaçavam com o vento.

Mas vi nesse mesmo olhar, um olhar de desconfiança, mas ao mesmo tempo de compaixão, não sei bem explicar o sucedido, mas sei que, de um olhar sério e rígido, surgiu um sorriso e um olhar de fraternidade que consegui-me fazer sorrir… Sei que parece um pouco estranho, mas foi verdade.

Acho que mesmo os mais pequenos já percebem quando não estamos nos nossos melhores dias, mas aquele olhar conquistou-me. Senti-me dai em diante mais desanuviado, pensando que com a minha idade eu deveria ainda estar a fazer coisas como aquela menina, e deixar às vezes o mundo correr e as coisas acontecerem..

 

Conclusão: Afinal para fazer o meu puzzle, acho que vou monta-lo com peças mais pequenas, esperando assim criar uma grande tela e peças cada vez maiores….    

sinto-me:
música: Chuva...
tags:
publicado por EA às 19:04

Quinta-feira, 03 de Janeiro de 2008

Esta a chover a potes na rua.

Encontro-me mais uma vez, naquela fase de melancolia… Penso se isto será algum tipo de sinal, chuva, melancolia, solidão…

Estou mais uma vez nesta cama tão vasta e ao mesmo tempo tão aconchegante, e de ti??? Nada sei, sinto-me ainda mais melancólico…

Depois do dia de ontem, em que vi a vontade de querer partir deste mundo e encarnar no outro, depois de derramar mais lágrimas, que por muitos foram inferiorizadas, por terem caído dos meus olhos e não dos olhos de uma mulher (senti que até no chorar, nós homens somos recriminados por nós próprios. Dizemos que é todo a base de teatro, ou a expressão que gosto mais de ouvir: “são frescuras”, irónico, até parece que quando uma pessoa chora, as lágrimas que são libertadas não são lágrimas sentidas, por várias razões, ou apelos de compreensão e carinho, de alegria e de satisfação, de até mesmo raiva e frustração).

No dia de hoje, a minha vontade de ficar triste apaziguou-se devido à chuva, que autoritariamente batia e abatia furiosamente os meus estores.

Abri os mesmos e vi que na rua todo estava encharcado, vi a sorte que tive em hoje ainda estar na cama e não ter que enfrentar mais esta guerra.

Voltei a deitar-me e pensei: “Na solidão do meu ser, cresce a necessidade de se querer viver. Posso agora estar sozinho, a ouvir a chuva nesta enorme cama, mas sei que em algum lugar, encontra-se a outra parte que me complementará um dia, que fará de mim um ser realizado.

Pode não ser hoje, nem amanha, nem depois de amanha, nem num futuro próximo, mas sinto que um dia irás sentir-te como me sinto hoje e virás a minha procura.

Acho que quando nascemos, já deveríamos saber localizar onde é que estão as partes e as pessoas que nos fazem falta para a vida, acho que assim a efemeridade da vida seria melhor aproveitada… Mas não, haveria sempre alguém que não concordaria, pois assim não haveria guerras nem pessoas a passar fome, e assim não seríamos uma grande sociedade… (ironia)

São estas as coisas que me fazem pensar se irei querer ter filhos nesta sociedade que a pouco e pouco auto mutilasse….    

sinto-me: Com ataques nos ataques...
música: Sara Tavares - Longe do Mundo
publicado por EA às 20:39

Terça-feira, 01 de Janeiro de 2008

Depois de mais um dia de emoções intensas, decidi que o melhor local para descansar é aquele café que tantas histórias nossas têm...

Abri a porta, e comigo entrou um sopro frio de Inverno avassalador, capaz de fazer sentir em qualquer ser humano um arrepio da cabeça aos pés. De seguida retirei o casaco e coloquei em cima do bengaleiro… Dirigi-me junto ao balcão e pedi um galão. Galão esse tão característico, que liberta da empregada um sorriu, mas daqueles sorrisos acolhedor e ternurento.

Por fim, vira-me as costas e começa a preparar o mesmo.

Observo o espaço, reparo que hoje o café encontra especialmente cheio, mas ao mesmo tempo o que importa?? Quem procuro não encontro. Solta-se de dentro de mim um sorriso cínico e céptico.

Adiante, chega a senhora com o galão perguntando se não pretendo mais nada.

Eu, com cara de poucos amigos, volto-me para ela e respondo: “O que eu quero não me pode dar!”. Mais uma vez sou surpreendido pela resposta, por ter sido tão rápida e directa: “Só não tem porque não quer! Tem tudo a sua disposição…”, e senta-se em cima da mesa.

A minha cabeça ficou a martelar a expressão: “Só não tem porque não quer! Tem tudo a sua disposição…”. Tive que dar o braço a torcer a citação.

Engoli de uma só vez o galão e sai do café…

No meio da rua, tropeçando entre malas e embrulhos de Natal, fico a pensar, que a senhora tem toda a razão, sou parvo e ingrato.

Posso não ter o que mais desejo, mas tenho amor daqueles que me amam, tenho comida em cima da mesa, tenho roupa para me agasalhar nestes dias em que o frio marca fortemente…

Vi agora, que sou apenas mais um mentiroso, pois costumo dizer que apenas preocupo-me com os outros e deixo os meus problemas para trás. Estou preocupado comigo mesmo, ando a dar importância a coisas de menor valor.. Tanta boa gente que vive na rua e que não tem que comer e eu a pensar que não sou feliz…

Sinto-me a mais hedionda das pessoas… Preocupar-me com um amor que não é amor, apenas ilusões ou atracão, (assim espero), e não dar valor as verdadeiras coisas, a miséria, a falta de compaixão que existe entre nós Seres Humanos, não sei…

Só espero que não estejamos a levar o nosso mundo para um poço sem fundo…

sinto-me: com medo do amanha...
música: Yann Tiersen - L`apres midi
publicado por EA às 19:59

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16

21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro