Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

Quem diria, mais um ano….

Mais factos a aglomerarem na minha grande história de vida, ou não…

O objectivo é, criar uma lista de coisas concretizáveis para realizar no próximo ano que já se avizinha.

 1º - Ser feliz;

 2º - Encontrar a pessoa que me faça feliz;

 3º - Avançar em todo, mesmo que depois a queda seja dolorosa;

4º - Eu, primeiro plano. Outros segundo plano, salvo certas excepções;

5º - Ganhar coragem e dizer “Amo-te”, as pessoas que realmente me fazem feliz;

6º - Tentar ganhar um pouco de mais auto estima e amor-próprio;

7º - Conseguir atingir os meus objectivos profissionais;

8º - Saúde

9º - Dizer ganhar o Euromilhões era mais forte… Pois eu mencionei que eram objectivos concretizáveis. Lool

10º - Paz Mundial, e principalmente, paz interior….

Bem se conseguir pelo menos concretizar 3/4 dos objectivos pretendidos, posso dizer que para este ano, vou ser uma pessoa mais feliz…

 

Feliz 2008 para todos, e que haja em cada um de vocês um sonho para se concretizar neste novo ano….

sinto-me:
música: Alicia keys - No one
tags:
publicado por EA às 19:11

Sábado, 29 de Dezembro de 2007

Era tão fácil quando eramos crianças, o mundo girava e as preocupações, medos e frustrações não existam, a única coisa que nos era imposta era amar e ser amados, para que assim fossemos capazes de ser alguém de melhor e especial…

Ao longo da minha curta e medíocre vida, fui conhecendo pessoas… Pessoas que marcaram, pessoas que feriaram, pessoas e pessoas…

Sei que muitas delas, batalham arduamente para o meu bem-estar e que estão sempre lá, ou quase sempre, principalmente nos momentos em que mais necessito de um simples “oi” ou aquele abraço mais apertado e que nós faz sentir realmente amados…

 

Tu és uma delas… Sempre que precisei de ti estavas lá, tímida e com sorriso maroto, com braços abertos e coração disponível. Conseguis-te fazer da minha vida um sítio um pouco melhor. Digo apenas um pouco porque, como deves calcular e tu própria dizes, não sou fácil, complicado até, como te referes, mas mesmo assim fazes de tudo para não me veres em baixo…

És para mim, mais do que uma amiga, posso dizer que és a complementação do ser que eu necessito… Força e determinação…

Gostava de ser capaz de transmitir os sentimentos, de libertar expressões de compaixão e confiança… Ser capaz de tomar as rédeas da minha vida e caminhar em frente… Mas não sou capaz... Sei que queres ajudar e que sentes aquele aperto no peito que te faz chorar e querer que todo esteje e acabe bem, eu sinto o mesmo, mas…. E este mas, ocupa sempre o lugar muito importante na minha vida, não me deixa, corta-me a determinação, corta-me como dizemos “às asas para voar”..

Quero que saibas que eu sei que tu estas ai, que posso contar contigo e que gostas muito de mim. Acredita, se eu não te digo ou não faço, não é porque não queira é que muitas das vezes, não sou capaz, ou quando sou soltam-se em breves e resguardadas palavras que muitas vezes confundem mais o que já esta confuso…

Espero que percebas e que entendas que para mim, não tens valor, não tens preço, não tens rivalidade…. Para mim és como a segunda mãe, como te designo, tens e sempre terás o meu coração e alma eternamente voltados para as tuas alegrias e tristezas, medos e complicações… Quero e irei ser capaz de superar os meus problemas… Sempre fui, desde a minha breve dislexia, que para muitas pessoas é um problema, desde a minha falta de carisma num futuro melhor, desde as minhas mudanças e complicações.

Espero que assim consigas entender mais um pouco o que se passa e que não, não quero esconder-te nada, apenas quero e preciso do tempo para me conseguir mostrar.

Agora no meio deste texto todo lembrei-me, e soltou-se uma lágrima do primeiro presente que recebi teu… Uns boxers e um cinzeiro do Sporting, acho e como já era de se esperar isso ou estragou-se ou nunca teve uso, mas ainda me lembro do cd, cd que pediste para gravar com a música da abelha Maia, que até hoje quando me sinto um pouco em baixo vou lá ouvir. Mas o mais importante não foi isso, foi aquele pequenino papel que vinha acompanhado. Ainda hoje me lembro do que dizia: “Só para maiores de 14 anos” lool… olha como o tempo corre e nós nem notamos… Esse papel permanece e irá até aos meus últimos dias permanecer junto aos bens que nunca quero perder…

És muito importante para mim, nunca questiones isso…

Beijos…

sinto-me:
música: Rodrigo leao - o ultimo adeus
publicado por EA às 21:08

 Encontro-me deitado nestes lençóis, que um dia tanto nos aqueceram. Recordo momentos, desejos e medos… Recordo que nunca foi bom em procurar soluções para os nossos medos, sempre foste mais forte que eu…
Agora, sou acordado pelo termo ventilador que repetitivamente vai dando calor ao nosso, ao meu quarto…. Dando-me a breve e estranha sensação de presença, de até talvez, compensação por sentir a tua falta... Ligo a aparelhagem, num tom suave e sereno, tentando fazer com que esta não se sobreponha ao barulho do termo… Não encontro nada de jeito, resolvo colocar os phones e colocar a dar a música marcante de momentos felizes, a música que tudo de nós diz e que ao mesmo tempo nada sabe…
Levanto-me calmamente, tropeço nos chinelos que resolvo atirar antes de me deitar, acho que é mesmo só preguiça em retira-los dos pés e colocar no chão. Mas não, antes de deitar tenho que fazer o favor de arremessamos para bem longe… Pelos vistos, este hoje ficou bem perto. Continuo a andar no escuro, chego por fim a parede da janela. Começo serenamente a puxar pelo laço dos estores e, a pouco e pouco, vou levando com os raios de sol que conseguem trespassar essa barreira de plástico..
Sinto-me estranho e inepto de fazer qualquer actividade… Sinto que a cama é o melhor refugio para esconder e ao mesmo tempo relembrar o que o passado tenha dissipar…
sinto-me:
música: Clã - Utilidade do Humor
publicado por EA às 13:44

Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

Nos lábios que outrora não quis penetrar, no corpo que outrora não quis que fosse meu… Agora sinto-os….

Sinto a crueldade de te querer, de sentir, de te ter… De conseguir criar em nós uma esfera capaz de reter a fugacidade do tempo… Capaz de fazer de ti algo só meu…

Sei que já não posso, vou tarde…. Tens alguém… Alguém que não sou capaz de superar, pelo menos por agora. Pessoa essa, que faz de ti a pessoa mais radiante e com o sorriso mais acolhedor que conheço… Gostava de um dia, também ser capaz de te fazer sorrir assim.

Acho que dei o passo mais errado para o momento. Admiti que gosto de ti, que sinto-me bem contigo, que o meu corpo almeja o teu…

Foi um “parvo”, deveria ter ficado na minha cama e de lá, nunca ter saído, se assim fosse nada disto teria acontecido, estaria todo igual, sentimento por sentimento, pessoa por pessoa, dor por amor…

Resta agora esperar, que o tempo consiga fazer esquecer esse momento que não se desfaz da minha memória, devido a minha falta de vontade… Ser capaz de continuar a fingir que nada se passa e que a vida continua…

sinto-me:
música: Toranja - Por dentro de mim
publicado por EA às 15:05

Sábado, 08 de Dezembro de 2007

Voltei a erguer a cabeça, que se encontrava à muito voltada para baixo.

Olhei para o céu e vi que as nuvens negras ainda lá estavam, tornando o dia ainda mais deprimente e fatídico…

Desci aquela encosta que parecia nunca mais ter fim… Tomei caminhos dos quais hoje não me arrependo, pois continuo a pensar que de todo fiz para te conseguir...

Do céu, abatiam-se sobre mim pequenas e ínfimas gotículas de chuva, daquelas que fazem à pessoa sentir-se aliviada e criando a falsa ilusão conforto… Comecei a correr para a estação de comboios para me poder despedir de ti, dar-te um daqueles abraços apertados, beijar-te, como se da última vez se tratasse, dizer-te com a dor no peito o simples adeus…

As pernas começavam a fraquejar, da estação de comboios nem sinal, mas não paro… Continuo a andar debaixo da chuva que a pouco e pouco começa a aumentar de intensidade, sou encharcado pelos carros que passam a toda a velocidade pelas poças que a pouco e pouco vão-se criando… Sinto que estou a fraquejar e penso que não irei ser capaz de chegar a tempo, começo a sentir-me ainda mais melancólico… Tenho sorte, passa por mim um táxi, não perco mais tempo, faço sinal mas o senhor não pára…

Continuo a correr, acho que foi esse mesmo acto de falta de compaixão que me fez ter ainda mais determinação para ir ao teu encontro...

Chego, peço informações acerca do teu destino… Sou informado que ainda tenho hipótese de ir ao teu encontro, não perco nem mais um minuto. Acho que estes todos aglomerados fizeram-me ainda ter mais força para ir ao teu encontro… Corro como se fosse um doido, sinto o olhar de repreensão dos outros utentes…Não me importa, não vou desistir de ti…

Chego ao local de embarque não vejo mais ninguém.. Senti que te perdi e nem tive a oportunidade de dizer um único adeus. Caiu-o de joelhos no chão e momentaneamente levanto a cabeça para o céu, como se tivesse a perguntar porquê…

Passados minutos, sinto uma pessoa ao meu lado, abro os olhos e vejo uma senhora idosa que me diz: “Não vale a pena ficares triste daqui a 30 minutos haverá outro.” E sorri-me… Pensei para mim mesmo, não era bem essas palavras que queria ouvir, mas, tive que ser forte e voltar para trás…

Cheguei a casa tendo a sensação que era uma esponja, torcesse por onde torcesse era só água. Decidi ir tomar um banho rápido…

Depois de um bom banho, veio-me a cabeça as memórias, memórias que decido esquecer de uma vez por todas… Vou a gaveta onde guardo os medicamentos e vejo se está algum calmante para adormecer. Encontro, começo a olhar fixamente para caixa e a pensar quantos é que deva tomar…

Decido colocar alguns dentro de um recipiente, dando a imaginar um cocktail de medicamentos, tomo todos de uma só vez… Vou para cama… Apenas quero dormir e esquecer…

Acho que ouço alguma coisa lá fora, não tenho bem a certeza, mas parece que é: “Estamos quase a chegar ao hospital, tem força”…

sinto-me:
música: Yann Tiersen - Coma
publicado por EA às 17:39

Quinta-feira, 06 de Dezembro de 2007
                      
                       Não venho a procura de mais um corpo,  
                        mas sim de uma única alma...
sinto-me:
música: Tiago Bettencourt - Música de Filme
publicado por EA às 20:34

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
27
28

30


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro