Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Sábado, 27 de Outubro de 2007

Sinto o vento a bater no meu cabelo… Tenho uma enorme vontade de fugir do mundo e refugiar-me num pequeno espaço, onde nunca pudesse ser encontrado….

Sei que não deveria falar assim, pois a alma estes dias pouco ou nada de construtivo posso formalizar.

Mas, o vazio que sinto dentro deste pequenino coração, ainda em fase de crescimento lento, já é um sofrimento de um coração experiente e farto de levar com as apunhaladas da vida.

 Sofrimento que aos poucos e poucos flagela o meu corpo, a minha mente, até mesmos os meus sonhos, tornando estes em meros e terríveis pesadelos. Mitigados apenas, apenas pela tua doce e efémera voz, que raras ou mesmo nenhumas vezes tenho o prazer de ouvir…

Quando vou para a cama, ainda tenho aquela maldita preocupação de não ocupa-la toda.. Lembro-me tão bem como se fosse hoje mesmo, a entrares com pés de veludo e teres mil e um coitados quando fechavas a porta, com medo de me acordares, sempre foste muito preocupada com essas pequenas acções, tiravas a roupa e vestias o pijama que tanto adoravas.. Acho que se passasses mais de uma noite sem dormires com ele, entravas em paranóia… (Agora até surgiu um vago e repentino sorriso nos meus lábios…) Para entrares na cama, primeiro sentavas-te ao pé da mesa de cabeceira, colocavas as pernas sem me tocares, pois sabias que acordava logo, entravas depois de mansinho e agarravas-te a mim. Nunca percebi porque é que fazias estes passos todos, se no final de contas querias sempre que acordasse para poderes dar-me um beijo de boa noite… Acho que já fazia parte do nosso ritual… Depois agarravas-te a mim e contavas-me o que se tinha passado no teu trabalho e como estavam a correr as coisas… Adorava ouvir-te contar o que se passava contigo diariamente, era como se tivesse lá… Depois adormecias e não largavas o meu corpo, acho que era uma maneira de saberes sempre que eu estava lá contigo, para o que desse e viesse…

Tenho tantas saudades todas… Porque é que a vida te levou em primeiro… Sinto a nossa cama como um mar, onde me afogo aos poucos, com a sua imensidão. Queria que voltasses-me a agarrar e a estares comigo como era dantes… Sinto falta de ti…

sinto-me:
música: Rodrigo leão - Promisse
tags:
publicado por EA às 19:11

Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

Não estou mais alto, a altura permanece a mesma de dias anteriores…

Mas convictamente, afirmo que cresci interiormente… Deixei de lado opiniões, criticas e elogios, deixei para uma próxima vida o que deveria mudar nesta…

 

Deixei de ser justo, para ser cruel, mesmo rude, à quem diga … Deixei de preocupar com o bem e com o mal, deixei de amar, deixei todo o que um dia dei valor… Deixei para trás um eu, cheio de amor e carinho como era retratado por alguns, aqueles que um dia amaram-me e que eu irei amar eternamente…

Deixei de sonhar, de preocupar-me com as pessoas, deixei para trás um ser que se preocupava com problemas que feriam directamente e deixavam outros mais aliviados, tentei muitas vezes apaziguar quem me amava realmente, num gesto de recompensa por todo o que me era dado de coração aberto.

 

Comecei a caminhar para um novo eu, gélido e calculista, egocêntrico e maquiavélico que vive num pedestal criado por ele próprio, na espera de vincar perante os outros que um dia não souberam dar-me valor… Deixei para trás convicções e decisões às quais tinha certeza que nunca iria mudar, mas afinal a vida encarregou-se de me demonstrar que estava errado, completamente…

 

Hoje encarei o mundo onde sobrevivo e a sociedade pelo qual é composta. Hoje sei que trago na memória momentos efémeros, de uma vida anterior… Sei que devia ter dado mais atenção a quem me deu realmente a mão, numa tentativa desesperada de salvação e que eu não quis agarrar, pensando estar a fazer o melhor. Sei que te fiz sofrer e que ainda hoje, teu coração é trespassado pelas decisões que tomei no passado, decisões essas que te derrubaram, deixando-te num mundo onde a fragilidade predomina…

 

Não sei como te possa ajudar, acho que não te devia ter colocado no meio deste enredo que era a minha vida, mas rapidamente todo irá terminar… Sei que estas a amar alguém e que a tua vida começa a caminhar em rumos melhores, fico contente… Espero do fundo do coração que essa pessoa consiga preencher o vazio que criei em teu coração..

sinto-me:
música: Mika - Love Today
publicado por EA às 20:43

Sábado, 20 de Outubro de 2007

Tento ignorar a saudade de te ter, de falar contigo, de apenas querer ver-te…

Tento ignorar o que é evidente… Sinto-me mal por não te ter, nem querer arriscar em tentar…

Sinto saudades… Sei que por um lado, estou certo em não ceder…

Mesmo que queira estar contigo, falar-te acerca do que se tem passado comigo dia-a-dia, dos meus problemas, angústias, das alegrias e dos momentos mais cómicos, não me vou deixar ir a baixo... Continuarei esperando que venhas dizer alguma coisa, Dando-me notícias sobre ti, do que tens feito, de como estas…

Não serei eu a ir mais uma vez a tua procurar, tentando fazer com que uma relação funcione apenas só com uma pessoa a tentar com que esta ande para a frente.

Ficarei em baixo se for preciso, poderei derramar lágrimas caso sinta necessidade de o fazer, mas irei tentar ao máximo não te procurar…

Deixarei de me humilhar por ti, mesmo gostando de ti… Irei ser forte e não entrarei em contacto contigo, mesmo que marque o teu número de telemóvel várias vezes ao dia, ao quando entras no messenger e eu clico em ti, só para poder ver a tua cara…

Começarei a dar-te desprezo…

Pode ser que um dia possas venhas a dar valor a quem te quis bem e tu ignoras-te.   

sinto-me:
música: dEUS - Nothing really ends
publicado por EA às 10:54

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

Sinto-me culpado por nunca te ter dado um beijo com amor…

Sinto-me culpado por nunca te ter feito feliz, como tu me fazias sentir…

Sinto-me culpado por um dia te ter dito que estava todo bem…

 

Após o nosso afastamento a vida para mim deu uma volta de 360 graus… Já não sei a quantas ando, não sei que tipo de rumo deva dar.. Só sei que existe uma enorme falha no meu peito, falha essa que foi causada pelas nossas enormes discussões, pela falta de compreensão mútua, da falta de diálogo……
Queria que tudo fosse diferente, queria voltar a tentar… queria voltar a sentir… Queria voltar a ter-te e a meu lado… Sentir a tua respiração, o teu folgo o teu cheiro… Ai, como sinto saudades…
Será que ainda tas ai???? Será que não deixas-te de acreditar em nós e foste em busca de algo que te completasse???
Não te posso censurar, nunca fiz nada para merecer o teu verdadeiro AMOR. Apenas ia e vinha e sabia que estavas sempre lá, ou assim pensava…
 Mais uma vez a vida encarregou-se de me mostrar que anda ai e não deixa passar nada em branco…
sinto-me:
música: Counting Crows - Colorblind
publicado por EA às 09:31

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

Hoje acordei com um feeling de que algo de bom iria acontecer, pois já há alguns dias que a vida não me presenteava com os seus raios repletos de calor.

Parece que, mais uma vez enganei me redondamente… Hoje a vida apresentou-me uma prova que não foi capaz de superar…

 

Fiquei em baixo…revoltado, com vontade de fazer emergir dentro de mim um grito que parecia ser o maior de toda a minha vida... Sentia-me como o bom português diz –:” literalmente na merda”!!!

Mas, enchi-me de coragem e retive esse mesmo grito, engoli as lágrimas que já queriam descer face a baixo, desfiz-me da tristeza que a cara queria emanar… Foi capaz de mais uma vez ser falso!

Coloquei os óculos de sol, que nestas alturas tanto auxiliam uma pessoa, arranjei um sorriso de conformismo para colocar no rosto, de banalidade até, para que as pessoas não me encontrassem com uma cara destroçada e que demonstrasse carência, aquele rosto que dá dó ver… 

Cheguei a casa, não aguentei mais, despi-me lentamente e preparei um bom banho… Reflecti nesse tempo, que nunca em tempo algum, estarei preparado para enfrentar os desafios da vida, serei sempre aquela criança com medo de arriscar, de dar um pé em falso… Nessa altura senti falta de alguém mais íntimo que me pudesse dar um carinho especial, ou mesmo aquelas palavras doces que queremos ouvir em alturas como esta… Senti falta de amor, mas amor de verdade… Não me refiro nem a amor de mãe, nem de pai ou amigos, pois isso nunca me faltou, refiro-me mesmo ao amor de alguém, alguém que me toque na alma e no espírito, que me faça querer viver e aproveitar as poucas coisas que a vida pode dar… alguém que me faça querer fazer mais e correr riscos por amor… Alguém… Alguém que eu mesmo acho que não existe…  Alguém que eu imagino e dou vida junto ao meu subconsciente, dando-lhe assim espaço para sonhar e acreditar em dias melhores…

A vida não é bem aquilo que nós queremos…..

sinto-me:
música: Mafalda Veiga - Cada lugar Teu
tags:
publicado por EA às 18:01

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

Na depressão da vida, nos erros que cometemos, no encandeamento de indecisões, nas contrariedades… Tudo nos faz pensar, reflectir, questionar….

Será que, ainda não sabemos distinguir o certo do errado..??? Será que ninguém sabe ou tem certeza dos caminhos a percorrer..???

 

Perguntas que me fazem pensar, reflectir e até mesmo, questionar-me acerca de mim mesmo e daqueles que me rodeiam.

Como sabemos que erramos…??

Não existe pré – sinalização a avisar-nos de perigo… Caminhamos assim a largos passos para um abismo, onde nos afundamos em indecisões geradas essencialmente no medo de voltar a arriscar, assim, na maioria das vezes, conformamo-nos com o pobre destino que julgamos guardado para nós, sem tentar arriscar em algo melhor..

Será que gostamos mesmo de nós??? Ou apenas queremos tentar sobreviver numa sociedade que nos tira constantemente o ar da boca e o chão dos pés???    

Dilemas estes, que me fazem pensar e imaginar que ainda existe muito para tentar modificar… Todos sabemos que não existem pessoas perfeitas. Que mesmo Deus, cuja sua imagem transparece perfeição, não conseguiu retirar do mundo a guerra e a fome…

Mas ele neste caso não errou… Ele tenta, na minha opinião, demonstrar que nem sempre temos controlo de tudo, que mesmo sendo ele o criador do Céu e da Terra, não conseguiu resolver estas questões, que tanto fazem sofrer inúmeras pessoas todos os dias..

Ele era um só… Nós hoje em dia, somos milhões…

Não devemos deixar isto continuar… Não podemos deixar que os erros de uns, prejudiquem a vida de outros. Temos que tentar continuar o que alguns já tentaram fazer pela Humanidade…

Mesmo errando hoje, temos sempre forma de tentar melhorar o amanhã…

Não deixem que as indecisões e os medos vós controlem… Tomem as rédeas da vida e tentem caminhar para um rumo melhor, sem que ninguém sabia lesado…

sinto-me:
música: Yann Tiersen - Summer 78
publicado por EA às 22:20

Sexta-feira, 12 de Outubro de 2007

São 7.25 horas da manha, acordo como de costume para correr pela rua. Esta frio na rua, tento ao máximo não desistir da corrida, pois esta é essencial para evitar pensar, reflectir ao mesmo sonhar… Depois de tantas horas na cama sem dormir, revirando-me de um lado para o outro sem conseguir tirar-te da cabeça sinto que é fundamental correr, tentar fugir para banir-te do meu pensamento… Começo a correr, o frio enrijece-me a cara, sinto como se tivesse levado um “tremendo enxerto de porrada”, agora será pertinente dizer que, o meu corpo começa a sentir o que a minha alma já sofre a largos anos com tua indiferença e ingratidão… Faço de todo para te agradar, para que sintas que podes contar comigo em qualquer instante, mas sei que para ti, isso não tem qualquer tipo de interesse ou valor….

Começo a correr mais de pressa, atinjo os meus limites de exaustão mas não quero parar, transpiro, sinto o fôlego a ficar descontrolado… Por fim, já sentindo uma fraqueza nos membros, paro… Coloco as mãos nos joelhos e respiro fundo, vejo uma sombra…Olho para cima, dou de caras contigo, ignoras-me e passas por mim como se fosse invisível…. A tua sombra fica a pairar na rua… Uma folha levemente começa por cair do alto do seu esplendor, indo de encontro ao sítio onde estives-te, abaixo-me e seguro nela, encostando-a suavemente ao meu rosto suado e cansado. Ainda sinto o seu calor, calor que só lembro sentir quando estavas a meu lado…

Decido, leva-la para casa e coloca-la junto há moldura que agora esta vazia… Sento-me no cadeirão que fica voltado para a rua, penso no que estaria a fazer neste preciso momento se tu estivesses a meu lado… Adormeço… Sonho contigo a rir e a passear pela beira mar, sinto-me feliz… Acordo e vejo que tudo não passa de uma ilusão criada pela vontade imensa que tenho em te ter a meu lado… Decido ir tomar duche e refrescar as ideias…

Oiço o telefone a tocar, não chego a tempo, o atendedor de chamadas dá sinal de mensagem vou ver, reconheço desde logo a tua voz doce e carinhosa como sempre, pedes para ir ter ao nosso, quer dizer, aquele café que em tempos foi nosso local de encontro, pedes para conversarmos. Na minha mente começa desde logo a ser criado expectativas acerca do que poderá ser o tema da conversa: – “Tenho quase a certeza que sente a minha falta e quer voltar para mim, recomeçar o que tínhamos deixado a meio ”.      

Corro para o quarto e coloco a primeira roupa que encontro, saio disparado de casa para ir ao teu encontro…

sinto-me:
música: Rodrigo Leão - Rosa
publicado por EA às 21:34

Ando estrada fora, sem sentido, rumo ou destino certo… Penso que para ti sou apenas mais um, descartável e vulgarizado por todos aqueles que já tiveste. Acordo e penso se valerá a pena acordar, vestir, rir, chorar ou qualquer outro gesto… Questiono-me se devo continuar a viver, pois tu eras a gravidade do meu mundo, aconselhavas-me a ficar os pés em terra e reflectir acerca dos meus, teus, nossos problemas... Pensei isolar-me, fugir de ti, passar por locais onde sei que não costumas frequentar, para que a dor de te ver fosse desaparecendo, mas não valia a pena… Fosse o que fosse que observa-se, lembrar-me do teu jeito de ser, do teu olhar, do teu cheiro, humm como tenho saudades do teu toque, de sentir a tua doce pele a passar-me pelos lábios, dos momentos em que sentia-me especial e único… Agora de nós, resta apenas os porta-retratos, recordações, e principalmente em mim, o vazio, que preenchias com o teu amor. Tentei o suicídio, mas não resultou... Só imaginar que não poderia ver-te mais, fez com que a minha vontade de morrer termina-se em breves segundos…. Sei que não estas comigo, nem que me amas como dizias, mas eu por ser estúpido e amar-te de verdade não te vou perseguir nem tentar fazer-te mudar de ideias, mesmo tendo o meu coração apertado e ferido por dentro com tua ausência, serei forte! Por muito que custe, tens em tuas mãos a tua vida e a minha, pois quando foste embora levas-te ambas contigo… Mas de uma coisa não posso abdicar, de espreitar-te quando estas a sair de casa sem que notes, ou quando estas a comer aquele gelado que em tempos foi nosso, ou ainda o que não poderei mesmo evitar é de recordar-te quando passa a nossa música, que insistentemente procuro no rádio, ahhhh lembras-te como fazíamos planos ao som dela, lembro-me como se fosse neste preciso momento, estávamos em tua casa, mais ninguém estava... Éramos loucos por fazer viagens e conhecer o mundo, Egipto, euroupa, Brasil…. humm momentos que não esqueço. Mas tu já nem te deves lembrar, de um momento para o outro disse-te que já não me amavas, que era todo um equívoco. Será que o que se passou entre nós não significou nada para ti???
sinto-me:
publicado por EA às 13:44

Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

Desde aquele dia, em que a vida começará a sorrir para mim e que tu apareceste, todo estava em permanente modificação, sentia-me leve, sem problemas, sem frustrações ou dúvidas… Estava a ser pelo menos uma vez na vida eu próprio, genuíno comigo mesmo sem tentar iludir-me ou cegar-me com a criação de um ser que não era eu!!!

Daí em diante todo parecia mágico, mesmo como nos filmes que vemos, todo é importante, o momento, um sinal, até mesmo o adeus, parte menos boa do nosso instante…. Mas tudo isto fazia parte do nosso ciclo, era esse mesmo adeus que nos fazia mais fortes, fazendo-nos dar valor a todos os instantes que passávamos. Quando chegavas, nem sabia por onde havia de começar, parecendo que não, desde o nosso adeus até ao nosso reencontro passavam-se horas, dias, semanas até… Mas só de imaginar que passado esse tempo poderia ter-te de novo a meu lado, deixava-me feliz.

Posso dizer que nossa relação atingiu o auge, todo era sublime, mas como a vida não é bem como queremos… Todo mudou! Começamos a ter menos tempo para nós, a distância começava a contribuir para esse afastamento, a falta de comunicação entre nós parecia mesmo uma realidade, nunca tinha imaginado que isso poderia acontecer… Ainda me lembro, como se fosse ontem mesmo, ficarmos até as tantas a conversar sobre coisas que até poderiam ser insignificantes para muitos, mas para nós eram temas que contribuíam para o nosso desenvolvimento, saber opiniões, tecer pontos de vista, enfim era um mundo há parte, que nós próprio criamos, esse era o nosso mundo… Agora noto que todo foi em vão… Sei que de momento tens alguém, espero que estejas feliz…

Posso dizer que contigo cresci e sinto-me um ser melhor, amadurecido e com a desvantagem de ter uma tristeza dentro de mim…

 

Tristeza essa que cresce dentro de mim a largos passos, tornando-me uma pessoa frustrada e rancorosa, com desejo de vingança e de fazer justiça com minhas próprias mãos… Sonho que te tenho em minhas mãos e que te provoco uma dor desmesurada, sentindo teu pescoço em minhas mãos, apertando-o pouco a pouco, agradando os meus olhos com o teu pavor e receio, dando ao meu subconsciente uma adrenalina e prazer que nunca este tinha alcançado… Acordo!!!!!! Sinto-me o pior dos seres, preparo uma corda que coloco por cima do candeeiro, que fica voltado para a grande varanda que tinha…. Coloco-me por baixo do candeeiro, subo para lá com o auxilio de uma cadeira, coloco a corda à volta do meu pescoço, deixo fluir uma gargalhada doentia, olho tristemente para a nossa foto… Abate-se uma lágrima de um dos meus olhos, mando a cadeira abaixo, rapidamente vem-me a memória num flash toda a nossa vivência, todo o nosso amor, ou pelo menos aquele que tinha por ti… Fecho os olhos, estou no escuro…………            

publicado por EA às 10:50

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

14
16
17

21
22
23
25
26

28
29
30
31


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro