Criando um mundo à minha medida... -"Grande mundo!!! Tu só medes 1.80"...

Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

Será que sou um ser hediondo no que diz respeito a sentimentos? Pelo simples facto de não ser capaz de admitir que amo, que quero amar e ser amado, que quero ser feliz e partilhar a minha felicidade??

Pois não sei bem ao certo…

 

Fujo do amor como quem foge à própria morte! Mas assim sou eu, um ser com inúmeros medos, como por exemplo ficar só, amar, medo de ser desejado e desejar, mas o único medo que inúmeras pessoas possuem e que a mim é me indiferente é a morte. A maioria das pessoas vê a morte como o final, como o terror da vida, a passagem de momentos gloriosos e memoráveis para um final monótono e enfadonho, no meu caso é o contrario. Antes prefiro descansar do que andar assim, com medo do que a vida me reserva, esperando que o dia seguinte seja pior ou melhor do que este, em que supostamente deveria estar a viver e não a sobreviver.

Nestes dias em que o tempo é muito e a ocupação pouca, tenho estado a pensar no meu percurso amoroso e todo o seu histórico de vida. Não é que eu possua um histórico amoroso longo, bem pelo contrário, até porque deveria rever o nome, não deveria ser histórico amoroso, mas sim, suposto histórico. Pois para ser sincero nunca tive um AMOR, como é descrito pela própria palavra. Apenas já senti atracção, já senti amizades bastantes especiais, já confundi sentimentos, já errei… Mas dos meus erros, o maior deles todos é fugir ao próprio amor, tentar libertar-me de um suposto amor, fugir de atracções físicas e intelectuais fugir de tudo pelo qual me possa vir a apaixonar.

Já menti a tanta gente devido a este mesmo medo.. Já disse que só gostava de pessoas mais velhas, já disse que gostava apenas de pessoas mais novas, já fingi ter alguém, já disse ser homossexual, já disse ser heterossexual, já inventei que apenas estava de passagem, já inventei mil e uma desculpas para afastar quem me amava.

Nunca percebi bem o porque de eu não conseguir dizer eu amo-te, onde estará a dificuldade de eu dizer estas mesmas palavras, será que tenho medo do grau de intensidade ou a falta do mesmo para quem esta a ouvir.

Será porque sou uma pessoa de sentimentos e não digo esta mesma palavra apenas por divertimento ou porque sei que quem está comigo deseja a ouvir e eu digo apenas por dizer..

Estas questões e dilemas fazem-me afastar as pessoas de tal maneira que fico assim, sem reacção, preocupado como o que a pessoa deverá estar a sentir neste mesmo momento, em que a dor da rejeição é tão forte como o próprio aço, que arde dentro de si como uma brasa em chama e que, apenas com o tempo esse ardor é apaziguado e esquecido, mas deixando sempre lá a marca de dor..    

Gostava de saber o porquê da minha existência, já passaram alguns anos desde a minha aparição e até hoje, ainda não consegui entender o que faço neste mundo. Olho e vejo o mundo a girar, os dias a sucederem-se uns a seguir aos outros, eu a envelhecer e comigo a solidão. Sinto-me como um simples pedaço de calcário que apenas está a formar-se para viver a vida sempre no mesmo sítio, nunca pertencendo a nenhuma construção ou obra, apenas ganhando musgo e servindo de acento para muitos..

Gostava de ser diferente, gostava de pudesse existir pequenas, mas drásticas modificações no meu ser, deixando os medos serem repartidos pela sociedade e que apenas ficasse com os bocadinhos bons que ainda conseguem prevalecer dentro de mim. Sei que pareço egoísta e que apenas preocupo-me apenas comigo mas, durante 18 anos apenas preocupei-me com aqueles que me rodeiam, deixando-me moldar na escultura em que apresento-me hoje. Escultura não em pedra mas sim de areia, que a qualquer momento dissipa-se no ar…..   

sinto-me:
música: Natasha Bedingfield - Soumate
tags:
publicado por EA às 11:41

De Daiane a 28 de Fevereiro de 2008 às 16:46
olá tudo bem?
desculpa eu tar passando aqui no seu blog pra dizer isso, mas eu queria pedir que vc me add no msn pq eu lí seu post e me identifiquei totalmente, tanto que cheguei aqui pq estava a procurar no google "porque afasto as pessoas que amo"
Eu queria muito ver se existe alguma forma de agente se ajudar, ou até msm trocar experiencias pra aprender um pouco mais sobre isso.
Mas uma vez, me desculpe por invadir seu espaço.
Meu msn é daiane.df@terra.com.br

De Janet a 28 de Março de 2011 às 16:36
Olá Daiane!
Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no google sobre FUGA DO AMOR, encontrei algo parecido que falava sobre FUGINDO AO AMOR... Li seu comentário e talvez possa te ajudar. Como não posso escrever tudo o que desejo, recomendo que leia um livro chamado: HOMENS QUE NÃO CONSEGUEM AMAR, talvez voce entenda melhor o que acontece com voce...Este livro serve tanto pra homens como mulheres ok? Qualquer comentário estou a disposição. Espero te-la ajudado... Um abraço.
Janet


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
21
22
23

24
26
27
29


Últ. comentários
Olá Daiane!Sou Psicóloga e fazendo uma pesquisa no...
Olá ! Agradeço as visitas que recebo de sua parte ...
Não pude deixar de vir cuscar e comentar! Goste...
Olá! =)Todos nós merecemos um "miminho" ocasionalm...
Oh... Isso foi tão incrivelmente fofo. Agora fique...
Gosto
boa música e bom vídeo!
Dói sim! Só pode doer, quando o ser interior é tão...
Olá :)Gostava muito de falar melhor contigo! Neste...
Nicka, até eu gostava de ouvir um seu "meo" da pes...
O que me vai na alma...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro